Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone
Olavo de Carvalho, COF 142 - 00:35:00 :
Os grandes intelectuais públicos, que se dedicavam a examinar a cultura como um todo e criar, dentro dela, um senso de orientação, desaparecem e são substituídos cada vez mais por professores universitários de filosofia.
Olavo de Carvalho, COF 140 - 01:36:00 :
Trata de filósofos com ideologias diferentes, mas todos com mentalidade totalitária.
Olavo de Carvalho, COF 120 - 01:15:50 :
Dá uma idéia do ambiente anti-milagroso;
Olavo de Carvalho, COF 123 - 01:30:00 :
Descreve o jardim de versalhes em páginas memoráveis;
Olavo de Carvalho, COF 127 - 01:00:50 :
Livro sugerido no curso "Raízes da Modernidade". Obra-prima de história, além de ser um livro maravilhosamente escrito. Estuda a passagem da primeira etapa da modernidade para o Iluminismo.
Olavo de Carvalho, COF 175 - 01:44:00 :
Documenta que a literatura do século XVIII corrompia, pois era formada de 80% de material pornográfico ou, pelo menos, anti-religioso.
Olavo de Carvalho, COF 120 - 01:15:50 :
Dá uma idéia do ambiente anti-milagroso.
Olavo de Carvalho, COF 127 - 01:00:50 :
Livro sugerido no curso "Raízes da Modernidade". Raramente se encontrará uma obra tão bem feita;
Olavo de Carvalho, "O Ocidente islamizado" :
Mostrou que a receptividade dada à crítica anti-tradicional intelectualmente sofisticada foi devida menos à aparente racionalidade de seus argumentos do que à atmosfera preparada por uma incrível inundação de piadas e lendas anti-religiosas, de uma baixeza e vulgaridade à toda prova, que já circulavam desde muito antes dos panfletos de Voltaire e Diderot;
Olavo de Carvalho, COF 270 - 00:10:30 :
Como tudo o que Hazard escreve, é extraordinário; mostra como as idéias de Kant podem parecer inovativas, mas nunca chocantes para o público; eram vistas como grandes sugestões para a realização de um ideal difundido.
Título: Os Intelectuais
Autor:
Olavo de Carvalho, True OutSpeak 17/12/2007 00:25:30 :
Retrada os intelectuais charlatães que são ídolos da modernidade;
Olavo de Carvalho, O Jardim das Aflições, É Realizações, 2ª edição, página 110, nota 73 :
Que Marx tivesse, pessoalmente, um tremendo senso do teatro, do fingimento, da prestidigitação, e? coisa que os biógrafos já estabeleceram com certeza suficiente;
Olavo de Carvalho, "O pai da porcaria" :
demonstrou que o tipo moderno do intelectual, cuja primeira encarnação ele localiza em Rousseau (poderia também ter dito Voltaire, ou Diderot), é substancialmente um mentiroso contumaz, um perverso egocêntrico e imoral, incapaz de guiar-se a si mesmo e metido, não obstante, a guiar a humanidade;
Olavo de Carvalho, COF 95 - 00:03:00 :
Mostra como todos os mentores do pensamento moderno são de um mendacidade extrema, realmente personalidades perturbadas.
Olavo de Carvalho, True OutSpeak 18/12/2006 00:52:50 :
Sobre a invasão vertical dos bárbaros;
José Monir Nasser, Expedições Pelo Mundo da Cultura :
O milagre intelectual mais deslumbrante de nossa época.
Olavo de Carvalho, True OutSpeak 18/12/2006 00:52:50 :
Sobre a invasão vertical dos bárbaros;
Olavo de Carvalho, O Jardim das Aflições, É Realizações, 2ª edição, página 273, nota 236 :
Huizinga destaca o fenômeno do puerilismo como uma das características dessas sociedades, que tratam com reverente atenção atividades puramente lúdicas e com leviandade juvenil os assuntos sérios; formam, por exemplo, eruditíssimos técnicos de futebol, e entregam a discussão filosófica e teológica a jornalistas semiletrados. Esse fenômeno hoje é de escala mundial.
Olavo de Carvalho, True OutSpeak 18/12/2006 00:52:50 :
Sobre a invasão vertical dos bárbaros;
Olavo de Carvalho, "Casta de malditos" :
Denuncia a abdicação geral dos deveres da inteligência por parte de intelectuais ávidos de poder;
José Monir Nasser, Expedições Pelo Mundo da Cultura :
Condena nos intelectuais qualquer tipo de engajamento a causas associadas seja com raça (como anti?semitismo, nacionalismo judeu), seja com classe (militarismo, burguesismo), seja com nação (xenofobia, nacionalismo), seja com partido (marxismo, positivismo...). A única causa aceitável é a da justiça.