Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone
Título: Profundamente
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Onde estão os que um dia amamos, os que um dia foram tudo para nós?
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Um dos mais belos e mais perfeitos poemas da literatura de língua portuguesa. Para ser lido, relido e decorado. Exemplo de musicalidade, ritmo, fluidez e riqueza semântica.
Rodrigo Gurgel, "Melhores Livros de 2014" :
O principal lançamento de 2014 é Vida e destino, de Vassili Grossman. Trata-se de um épico sobre a importância da liberdade; crítica lúcida ao nazismo e ao comunismo, irmãos siameses cujo terror insiste em nos perseguir, mas que se apresentam como construtores do paraíso na terra. Romance que não se submete ao niilismo ou ao relativismo moral dos nossos tempos — e nega que o ser humano esteja fadado à desgraça, podendo lutar para cumprir, com dignidade, a fortuna de viver. Um livro capaz de mostrar, inclusive aos eternos escritores pessimistas, que coragem e bondade são virtudes possíveis, ainda que em meio à destruição.
Rodrigo Gurgel, "Fábulas desiguais" :
Lançado em 1925, No galpão — contos gauchescos, de Darcy Azambuja, recebeu, da Academia Brasileira de Letras, o prêmio de melhor livro de contos. As narrativas de Darcy Azambuja tentam recriar, na linha inaugurada por Simões Lopes Neto, o gaúcho ideal, figura mítica do pampa. Não devemos, entretanto, buscar nelas o conto na sua estrutura moderna, mas o texto que se aproxima da crônica, dos causos, das fabulações relatadas ao pé do fogo.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. A experiência sempre anônima da tristeza. Caminhamos entre “desatentos”.
Título: Canção
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. O que resta quando os sonhos morrem?
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Que sejamos “graves e simples”, não só no Natal.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. A luta diária do escritor, de todo artista, sintetizada de forma genial.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Há uma didática para mostrar a Verdade.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
No primeiro volume de Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust, o narrador conta sua experiência: ele recorda sua infância, quando escrever era um anseio atormentador. Cada detalhe inspira o garoto. No entanto, há um abismo entre o pensamento e o gesto de empunhar o lápis. Sua angústia o persegue — e ser incapaz de concretizar o desejo de escrever muitas vezes o aniquila.