Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. A experiência sempre anônima da tristeza. Caminhamos entre “desatentos”.
Título: Canção
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. O que resta quando os sonhos morrem?
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Que sejamos “graves e simples”, não só no Natal.
Título: Profundamente
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Onde estão os que um dia amamos, os que um dia foram tudo para nós?
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Um dos mais belos e mais perfeitos poemas da literatura de língua portuguesa. Para ser lido, relido e decorado. Exemplo de musicalidade, ritmo, fluidez e riqueza semântica.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. A luta diária do escritor, de todo artista, sintetizada de forma genial.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Há uma didática para mostrar a Verdade.
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
No primeiro volume de Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust, o narrador conta sua experiência: ele recorda sua infância, quando escrever era um anseio atormentador. Cada detalhe inspira o garoto. No entanto, há um abismo entre o pensamento e o gesto de empunhar o lápis. Sua angústia o persegue — e ser incapaz de concretizar o desejo de escrever muitas vezes o aniquila.
Título: Os homens ocos
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. Numa terra morta, homens vazios caminham em busca de esperança.
Título: O infinito
Autor:
Rodrigo Gurgel, "12 poemas para a vida inteira" :
Poemas para a vida inteira. A doçura de perder-se no “eterno”, nas “estações já mortas” e no tempo presente.